A nova capa da revista Time indicando a aquisição do Kremlin é ousada e um presságio

A revista Time tem sido vocal e visivelmente visual sobre sua opinião sobre Trump. No ano passado, em agosto, ele retratou Trump - que, naquela época, estava disputando a corrida presidencial - como uma caricatura que estava 'derretendo'. O título que acompanhou a imagem foi Meltdown.

Trump, Time Magazine, Casa Branca, Kremlin, Rússia, Putinvia TIME Magazine

Por mais que a revista Time seja conhecida por suas capas icônicas, ela é conhecida por suas polêmicas. Chegou às manchetes mais uma vez, com um cobrir representando as cúpulas da Catedral de São Basílio - um importante símbolo de Moscou - assumindo a Casa Branca.

Em 15 de maio, a Casa Branca estava em crise. Noticiou-se que o presidente havia sido acusado de distribuir informações confidenciais, ultrassecretas e confidenciais ao embaixador russo e ao ministro das Relações Exteriores russo em uma reunião privada. A notícia veio como um corroborador para a polêmica que já girava a Casa Branca de cabeça para baixo: a notícia da demissão abrupta do diretor do FBI, James B. Comey.

O momento era pertinente: ele foi demitido bem no momento em que a investigação da Rússia (que investigava se a campanha presidencial de Trump tinha ligações com a inteligência russa) estava fervendo. O motivo, Trump insistiu, foi que a demissão de Comey foi recomendada pelo Procurador-Geral Adjunto, Rod Rosenstein, que sentiu que havia cometido vários erros ao investigar o caso de e-mails privados de Hillary Clinton.

A polêmica se acelerou quando o ex-diretor do FBI divulgou um memorando em 16 de maio, mencionando que Trump havia exigido que Comey colocasse uma tampa na investigação do ex-conselheiro de segurança nacional Michael T. Flynn. O memorando mencionava que Trump havia pedido a Comey para deixar [a investigação] de lado. Muitos traçaram paralelos entre Comey e Archibald Cox, um promotor especial que estava investigando a campanha presidencial de Richard Nixon em 1973, quando Nixon exigiu a demissão de Cox, e finalmente conseguiu.

A revista Time recebeu uma reação considerável dos conservadores por sua capa, que mostra as metamorfoses da Casa Branca na Catedral de São Basílio da Rússia quase completas. Os conservadores acusam a revista de abandonar sua visão de mundo objetiva e jornalística e se tornar um órgão de opinião forte e de extrema esquerda. A publicação também foi acusada de plágio, por ter copiado a capa da revista MAD:

Revista MAD, capa da Time, rip offvia MAD Magazine

No entanto, a capa é ousada, flagrante e portentosa em seu imaginário simbólico, pois descreve a situação na América como ela é, sem rodeios. Para um presidente dos Estados Unidos divulgar informações sobre questões relacionadas a fontes de inteligência especificamente relacionadas ao terrorismo do ISIS, é problemático. Possivelmente será prejudicial para as relações de inteligência externa do país - e isso diz muito sobre a capacidade de Trump de liderar uma nação. E a capa mostra exatamente isso: Trump entregou o direito de conduzir a América ao Kremlin.

Colapso total da revista Time, trunfo, corrida presidencialCapas da Meltdown da revista TIME

A revista Time tem sido vocal e visivelmente visual sobre sua opinião sobre Trump. Em agosto do ano passado, ele retratou Trump - que, naquela época, estava disputando a corrida presidencial - como uma caricatura que estava 'derretendo'. O título que acompanhou a imagem foi Meltdown. Mais tarde, a revista deu um passo além e mostrou sua caricatura em um estado completamente deformado, com um título que dizia: Total Meltdown. Curiosamente, a Time nomeou Trump como Personalidade do Ano de 2016, o que levantou várias sobrancelhas. Mas a revista deu um passo à frente e forneceu um subtítulo revelador: O Presidente dos Estados Divididos da América. Então, em fevereiro de 2017, a TIME lançou uma capa que retratava Trump, com uma expressão inexpressiva e cabelo ao vento, sentado no Salão Oval em meio ao que parecia ser, presumivelmente, uma tempestade auto-criada.

Muitas outras publicações, como o The New York Times, foram vociferantes em condenar Trump e suas ações desde o início, o que levou o presidente a rotular o Times de falido. Recentemente, a revista espanhola Tapas também lançou uma capa interessante.