Ninguém do Afeganistão vai se dirigir aos líderes mundiais na ONU

A medida ocorre em meio a reivindicações concorrentes pelo assento do Afeganistão na ONU em Nova York, depois que o Taleban tomou o poder no mês passado.

O ministro das Relações Exteriores do Talibã, Amir Khan Muttaqi, pediu na semana passada para falar na reunião de líderes mundiais nas Nações Unidas. (Foto: Twitter / Presidente da UNGA)

Nenhum representante do Afeganistão falará na Assembleia Geral anual de alto nível da ONU em Nova York depois que o embaixador do governo deposto pelo Taleban - que deveria falar na segunda-feira - retirou seu nome.

A medida ocorre em meio a reivindicações concorrentes pelo assento do Afeganistão na ONU em Nova York, depois que o Taleban tomou o poder no mês passado.

Ministro das Relações Exteriores do Talibã Amir Khan Muttaqi pediu na semana passada para falar no encontro de líderes mundiais nas Nações Unidas e nomeou o porta-voz do grupo islâmico Suhail Shaheen, baseado em Doha, como embaixador do Afeganistão na ONU.

Ghulam Isaczai é o atual embaixador da ONU, que representa o governo do Afeganistão deposto pelo Talibã, e também pediu para renovar seu credenciamento. Ele deveria discursar no último dia da reunião de alto nível da ONU na segunda-feira, mas retirou-se na noite de domingo, disseram diplomatas.

Leia também|O Talibã do Afeganistão não falará na Assembleia Geral da ONU

Isaczai não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Reivindicações rivais também foram feitas para a cadeira de Mianmar na ONU depois que um golpe militar em fevereiro derrubou o governo eleito. Nenhum representante de Mianmar falará na reunião de alto nível da Assembleia Geral.

As questões de credenciamento da ONU são tratadas por um comitê de nove membros, cujos membros incluem os Estados Unidos, China e Rússia. Tradicionalmente, reúne-se em outubro ou novembro.

Até que uma decisão seja tomada pelo comitê de credenciais para o Afeganistão e Mianmar, Isaczai e o enviado da ONU de Mianmar que representa o governo deposto, Kyaw Moe Tun, permanecerão nos assentos, de acordo com as regras da Assembleia Geral.