A Índia ocupa o 76º lugar no índice de corrupção global, a Dinamarca é o país menos corrupto: Relatório

A Coreia do Norte está entre os países mais corruptos do mundo, diz o relatório

corrupção, índice de corrupção, classificação de corrupção, Transparência Internacional, relatório de corrupção, coreia do norte, dinamarca, Kim jong un, corrupção na Índia, corrupção na Índia, classificação de corrupção na ÍndiaA pontuação da Índia no índice global de corrupção é 38

A corrupção no setor público ainda é um grande problema em todo o mundo, mas mais países estão melhorando do que piorando, e os Estados Unidos e o Reino Unido alcançaram suas melhores classificações de todos os tempos, disse um órgão anticorrupção na quarta-feira.

A Dinamarca permaneceu no topo do Índice de Percepção de Corrupção da Transparência Internacional, um barômetro global monitorado de perto, pelo segundo ano consecutivo, sendo o país considerado o menos corrupto. Ele marcou 91 pontos em 100 possíveis, enquanto a Coréia do Norte e a Somália permaneceram no último lugar, com pontuações inalteradas de 8.

O índice é baseado em opiniões de especialistas sobre corrupção do setor público, analisando uma série de fatores, como se os líderes governamentais são responsabilizados ou não são punidos por corrupção, a prevalência percebida de suborno e se as instituições públicas respondem às necessidades dos cidadãos.

Os EUA subiram uma posição este ano para o 16º lugar com 76 pontos, empatando com a Áustria. O Reino Unido subiu três posições para o 10º lugar, com 81 pontos que empatou com Alemanha e Luxemburgo. As outras primeiras colocações, do segundo ao nono, foram ocupadas pela Finlândia, Suécia, Nova Zelândia, Holanda, Noruega, Suíça, Cingapura e Canadá.

corrupt_graphic

Apesar de tantos países entre os 10 primeiros, a Transparência disse que ainda há muito espaço para melhorias na Europa e na Ásia Central, que agrupou como uma única região, dizendo que na Hungria, Polônia e Turquia com pontuações baixas, os políticos e seus comparsas estão cada vez mais sequestrar instituições do estado para fortalecer o poder.

É ainda mais sombrio no índice, continuou a organização. No Azerbaijão, Cazaquistão, Rússia, Uzbequistão e outros, os governos estão restringindo, senão sufocando totalmente, a sociedade civil e a mídia livre.

A Rússia ficou em 119º lugar, empatada com Azerbaijão, Guiana e Serra Leoa, embora sua pontuação tenha melhorado de 27 em 2014 para 29 em 2015, elevando sua classificação na lista do 136º lugar.

O Brasil, em meio a um grande escândalo de corrupção na estatal petrolífera Petrobras, registrou a maior queda, caindo 5 pontos para 38 e caindo 7 posições para 76º lugar.

A Transparency observou que em lugares como Guatemala, Sri Lanka e Gana, os ativistas cidadãos trabalharam duro para expulsar os corruptos.

O Índice de Percepção de Corrupção de 2015 mostra claramente que a corrupção continua sendo uma praga em todo o mundo, disse o chefe da Transparência, Jose Ugaz. Mas 2015 também foi um ano em que as pessoas voltaram às ruas para protestar contra a corrupção - pessoas em todo o mundo enviaram um forte sinal aos que estão no poder: é hora de combater a grande corrupção.

No geral, dois terços dos 168 países estudados pontuaram abaixo de 50 e a média global foi de 43.

Ainda assim, a Transparency disse que é um bom sinal que 64 países melhoraram sua pontuação, enquanto apenas 53 diminuíram. O resto não mudou.