Polícia brasileira suspeita do assassinato de esposa de embaixador grego: mídia local

O embaixador grego Kyriakos Amiridis, 59, estava desaparecido desde segunda-feira à noite.

embaixador grego, assassinato de embaixador grego, embaixador grego no Brasil, assassinato de Kyriakos Amiridis, últimas notícias, últimas notícias do mundoUm carro queimado em que um corpo foi encontrado durante as buscas pelo Embaixador da Grécia para o Brasil Kyriakos Amiridis, é fotografado em uma delegacia de polícia em Belford Roxo, Brasil, 30 de dezembro de 2016. (Fonte: REUTERS / Ricardo Moraes)

Investigadores do Rio de Janeiro suspeitam que o embaixador da Grécia no Brasil foi assassinado a mando de sua esposa e de um policial com quem ela estava romanticamente envolvida, informou a TV Globo na sexta-feira, citando fontes policiais.

O embaixador grego Kyriakos Amiridis, 59, estava desaparecido desde segunda-feira à noite. Sua esposa brasileira, Françoise, denunciou seu desaparecimento à polícia na quarta-feira. O casal tem uma filha de 10 anos.

Veja o que mais está nas notícias

A polícia também confirmou à Rede Globo que o corpo foi identificado como sendo de Amiridis. Os investigadores disseram à TV Globo que acreditam que a esposa de Amiridis e o policial Sergio Moreira planejaram e possivelmente executaram o assassinato em uma casa onde o diplomata e sua esposa estavam hospedados em um subúrbio ao norte do Rio.

A esposa de Amiridis e o policial estavam sob custódia policial e não se sabia se eles haviam contratado advogados. A embaixada grega em Brasília não quis comentar. A polícia e as autoridades de segurança do estado do Rio, juntamente com autoridades gregas, se recusaram a comentar à Reuters sobre a reportagem da televisão, nem forneceram quaisquer outros detalhes.

Em Atenas, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Grécia, Stratos Efthymiou, disse que o governo não tinha comentários sobre o caso. Dois outros suspeitos estavam sob custódia, mas não foram identificados, informou a Globo.

O jornal O Globo noticiou anteriormente que sangue foi encontrado em um sofá dentro de casa. A TV Globo na tarde de sexta-feira mostrou policiais carregando um sofá para dentro da sede da polícia. Um cadáver queimado foi encontrado na noite de quinta-feira dentro do carro que Amiridis e sua esposa haviam alugado. Ele estava estacionado sob um viaduto na área onde o casal estava hospedado.

Na quinta-feira, a polícia confirmou que o embaixador estava desaparecido desde segunda-feira à noite, quando foi visto pela última vez saindo da casa da família de sua esposa. O incidente é outro golpe para a imagem do Rio, apenas quatro meses depois de sediar os Jogos Olímpicos.

O bairro onde o carro foi encontrado é dominado por grupos armados poderosos e politicamente ligados, em sua maioria, policiais fora de serviço ou aposentados e bombeiros que controlam vastas áreas. Acredita-se que eles frequentemente extorquem os residentes em troca de impedir que gangues de traficantes tomem as áreas. Os grupos armados cresceram em força no Rio por vários anos e muitas vezes caíram nas graças dos políticos locais ao prometer votos de bairros inteiros, desde que as autoridades permitissem que cometessem seus crimes.

A criminalidade no Rio tem aumentado e o estado está profundamente endividado, muitas vezes incapaz de pagar a polícia e outros salários em dia, se é que paga. Amiridis serviu como cônsul-geral da Grécia no Rio de 2001 a 2004. Ele foi embaixador da Grécia na Líbia de 2012 até assumir o cargo mais importante do Brasil no início de 2016.