Sangue e bilhões de dólares: a longa guerra da OTAN no Afeganistão

Aqui estão alguns fatos sobre o envolvimento militar da OTAN no apoio aos Estados Unidos.

Otan, Cabul, afeganistão, talibã, tajiquistão, Estados Unidos, al Qaeda, eua-talibã, eua afeganistão, nato afeganistão, expresso indiano, notícias expressas indianas, notícias mundiaisMilitantes do Taleban agitando uma bandeira do Taleban na caçamba de uma caminhonete passam por uma rua movimentada na área da Praça Pashtunistan em Jalalabad, Afeganistão, nesta imagem estática tirada de um vídeo de mídia social carregado em 15 de agosto de 2021. (Reuters)

Os combatentes do Taleban entraram em Cabul no domingo e uma autoridade disse que o presidente Ashraf Ghani deixou a capital afegã e foi para o Tajiquistão, encerrando a investida relâmpago dos militantes pelo poder.

Aqui estão alguns fatos sobre o envolvimento militar da OTAN no apoio aos Estados Unidos:

* Em 12 de setembro de 2001, os aliados da OTAN invocaram sua cláusula de defesa mútua pela primeira, e até agora a única vez na história de sete décadas da aliança ocidental, após os ataques de 11 de setembro de 2001 aos Estados Unidos por militantes da Al Qaeda .

* Depois que as forças lideradas pelos EUA derrotaram os líderes do Taleban que abrigavam o fundador da Al Qaeda, Osama bin Laden, o arquiteto dos ataques de 11 de setembro, a OTAN assumiu o comando de uma coalizão internacional em 2003. O objetivo era restaurar a paz no Afeganistão e aumentar as forças de segurança afegãs. Em 2015, a missão, conhecida como ISAF, foi substituída por uma operação de formação, Apoio Resoluto. Em abril, contava com cerca de 10.000 soldados de 36 países.

* A coalizão militar internacional sofreu mais de 3.500 mortes desde 2001, entre elas cerca de 2.400 americanos, de acordo com dados do Congresso dos EUA. Mais de 20.000 soldados americanos foram feridos em combate. O site http://www.icasulaties.org coloca o número total de fatalidades em 3.577. Dezenas de milhares de policiais e soldados afegãos foram mortos.

* A presença de tropas da OTAN atingiu o pico em 2011, com mais de 130.000 tropas estrangeiras de 51 países aliados e parceiros no Afeganistão. Desde 2003, a OTAN treinou centenas de milhares de soldados e policiais afegãos, incluindo o estabelecimento de uma força aérea afegã.

* A Alemanha implantou o segundo maior contingente militar no Afeganistão, depois dos Estados Unidos. Na província de Kunduz, no norte do Afeganistão, um reduto do Taleban, a Alemanha perdeu mais tropas em combate lá do que em qualquer outro lugar do mundo desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

* Os Estados Unidos sozinhos gastaram mais de US $ 140 bilhões em ajuda geral para o Afeganistão desde 2002, de acordo com dados do Congresso dos EUA. O Pentágono estimou o custo das operações de combate dos EUA, incluindo apoio às forças afegãs, em mais de US $ 820 bilhões no mesmo período.

* O Afeganistão continua sendo um dos países mais pobres do mundo. Ele está classificado em 169 de 189 países no Índice de Desenvolvimento Humano publicado pelo Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas, com uma expectativa de vida média de 64 anos e uma renda nacional bruta per capita de US $ 2.200.